top of page
Buscar

Papo com Escritor | LUCCAS PAPP | Sonhejunto.com

"A tecnologia é muito inteligente, mas o ser humano é mais esperto."

Comenta Luccas Papp durante o Papo com Escritor


Papp acaba de lançar o livro Sonhejunto.com (Giostri Editora), texto de sua nova peça de mesmo nome que entra em cartaz no Teatro MorumbiShopping. No espetáculo, Luccas divide o palco com Thaís Falcão.



Formado em Filosofia pela FFLCH/USP, tem mais de 20 textos registrados como autor teatral, como os premiados “O Estranho Atrás da Porta” e "O Ovo de Ouro”. Foi professor e diretor de teatro da escola Fundação Bradesco por oito anos até abrir sua própria oficina de atores em 2019. No audiovisual destaca-se suas atuações no filme “Lula, o Filho do Brasil” e na novela “As Aventuras de Poliana” do SBT.


De suas peças, quatro viraram livros (saiba mais das obras), sendo o mais recente "sonhejunto.com", que está saindo do forno. A peça entra em cartaz no Teatro do MorumbiShopping a partir de 15 de abril e fica em cartaz até 28 de maio, aos sábados e domingos, às 19h.


Eliaquim Batista: Sonhejunto.com aparenta ser um projeto grandioso pra você, já que além do espetáculo, você preparou um site, tem o livro com o roteiro da peça, entre outras coisas. Com isso, o que o público pode esperar dessa empreitada, especialmente da peça?

Luccas Papp: Sonhejunto.com é a minha estreia de texto meu desde Anjo de Cristal. Estamos falando de nove, dez meses, mais ou menos, que eu não estreio algo inédito. Falo de texto, meu, inédito, original.

E é a minha primeira peça depois que fiz trinta anos, então eu tenho um carinho muito grande e especial. Por isso quero fazer de uma forma bastante delicada e com muito esmero. Tem sido um processo muito gostoso.

A peça tem uma linguagem um pouco mais comercial, que é o que eu queria buscar, e neste primeiro semestre é uma fase em que quero focar mais nesse tipo de espetáculo que traga linguagens mais acessíveis ao público e depois trazer espetáculos mais fortes e para um público mais específico.

E esse teatro mais popular, não quer dizer que não é profundo ou importante. É essa cara que eu quero dar para o projeto de levar para o máximo de pessoas possível, em um teatro mais acessível e que eu junto com o texto bem comercial.

Então estou bem animado pra fazer isso acontecer. Tem o livro, uma linguagem bem gostosa e mais uma vez que estou investindo do meu bolso, fazendo por conta própria, então é porque eu acredito no projeto.


"Então até se você colocar o Chat GPT pra escrever um roteiro, ele vai escrever, mas não vai ter sensibilidade nenhuma."


Eliaquim Batista: Pelo que vi, a realidade virtual está presente no enredo. O que você acredita do futuro da tecnologia, da IA e da chegada do tal Chat GPT?

Luccas Papp: A peça se passa em um futuro não muito distante e a peça inteira se passa na realidade virtual.

A gente ignorar a importância e a complexidade em que a inteligência artificial e o mundo virtual terá nos próximos anos, a gente acaba ficando alienado.

Eu acho que é fundamental dialogarmos sobre isso, pois é uma tendência de um diálogo global que as coisas tendem a caminhar para um registro mais virtual, digamos assim. Então a peça fala desse lugar.

Mas eu acho que nada substitui o ser humano. A tecnologia é muito inteligente, mas o ser humano é mais esperto. Então até se você colocar o Chat GPT pra escrever um roteiro, ele vai escrever, mas não vai ter sensibilidade nenhuma. As ciências humanas nunca serão substituídas por uma máquina, essa é a verdade. As exatas, de certa forma sim, as humanas eu acredito que não.


Eliaquim Batista: Você tem mais três peças que viraram livro, certo? E por quê a escolha de "sonhejunto.com" para ser seu novo livro físico?

Luccas Papp: Eu escolhi o Sonhejunto pra virar livro porque é uma história que tem uma linguagem literária. Ela se assemelha muito aos romances que a gente vê como Nicholas Sparks, John Green.

Então a peça acaba se assemelhando a um livro desses que tem um público. Aí pensei: "Cara, vou aproveitar que essa história tem uma linguagem literária, um registro próximo da questão literária e vou utilizar esse registro para transformar em livro." Acho que tem tudo a ver, estou bem animado. E é claro que é uma peça mais popular, pensando em questão de vendas, a gente está com uma expectativa boa!



Eliaquim Batista: Agora falando um pouquinho do lado do Luccas, como é sua rotina de escrita e seu processo criativo?

Luccas Papp: O meu processo criativo de escrita é um pouco complicado, porque eu escrevo duas, três peças por ano, quarto, às vezes. Mas geralmente tudo nasce de uma ideia sobre o que eu quero falar, às vezes nem tenho a ideia, apenas o desejo de escrever alguma coisa.

Então vou pensando e quando eu tenho a ideia formada sobre o que eu quero falar, eu penso em como eu vou falar. Aí vem os personagens e o final. Eu decido sempre o final primeiro. Eu decido sempre o plot twist no começo, antes de qualquer outra coisa.

Aí a partir de então é só colocar no papel. Eu sou um cara que não gosto de demorar pra escrever, eu geralmente escrevo muito rápido, pois pra mim escrever é como um parto. Eu brinco que é um processo quase doloroso, mas quando termino é muito recompensador e é algo bem forte pra mim, é simbiótico, então quanto mais rápido eu termino, melhor.

Geralmente esses textos, eu fico mais do que cinco, seis dias em cima deles, é uma forma bem rápida. Aí depois que termino, reviso tudo e vejo se a história está fazendo sentido da forma que eu gostaria. Mas primeiro gosto de dar vasão para aquilo que estou criando.



Eliaquim Batista: E como é viver da arte no Brasil?

Luccas Papp: Viver de arte no Brasil é uma aventura! É o tempo inteiro ter que se desafiar e o tempo todo, acima de tudo, não desistir. É permanecer firme, acho que essa é a palavra, pois temos momentos bons, momentos não tão bons. Então é saber usufruir os momentos bons com humildade e ter força pra passar pelos ruins.


Eliaquim Batista: Cara, muito obrigado! Você sabe que admiro o seu trabalho como produtor cultural e seus textos que sempre trazem uma lição para levarmos para a vida. Agradeço muito por ter aceito o convite!

Luccas Papp: Obrigado, velho! Tamo junto! É nóis!

Vai lá me assistir. Vou ficar feliz!


Confira mais informações sobre a peça:

Elenco: Luccas Papp e Thaís Falcão

Local: Teatro MorumbiShopping

Av. Roque Petroni Júnior, 1089, Jardim das Acacias, São Paulo - SP

Temporada: De 15 de abril a 28 de maio.

Sábados e domingos, às 19h.

Classificação: 10 Anos.


Adquira o seu exemplar do lançamento do autor:


Abraços Literários,



Comments


bottom of page