top of page
Buscar

Resenha | JANUSZ KORCZAK, de Sarita Mucinic Sarue | Summus Editorial

Um judeu que viveu, lutou e morreu na luta pela educação das crianças, especialmente das mais necessitadas. O livro de Sarita Mucinic Sarue apresenta a biografia do educador conhecido como Bom Doutor.



O polonês Henryk Goldszmit formou-se médico e escolheu a pediatria como área de atuação, mas posteriormente viu que é a educação que se forma e transforma um ser humano. Foi obrigado a trocar de nome devido a origem judaica não ser bem aceita no fim do século XIX e início do século XX no país europeu.


“Foi na universidade que Henryk passou a ser conhecido como Janusz Korczak: ao se inscrever num concurso literário, escolheu como pseudônimo o nome de um personagem heroico da literatura juvenil polonesa.”

p. 28



Na biografia editada pela Summus Editorial conhecemos um grande visionário, que sem dúvidas vivia à frente do seu tempo. Ganhou notoriedade ao criar o Orfanato Dom Sierot, em 1912, em Varsóvia, capital da Polônia, que chegou a abrigar 150 crianças e lá criou a República Democrática das Crianças, onde os pequenos eram vistos como cidadãos, tomavam decisões pelo bem comum e não havia castigos físicos ou humilhantes para quem desobedecesse a alguma regra do local.


“O orfanato precisava de adultos que não fossem autoritários e agressivos como a maioria dos professores dessa época. Era proibido bater, ofender, gritar e violar os direitos da criança”

p. 63 e 64


Itchak Belfer, uma das crianças do orfanato Dom Sierot



Foi nessa mesma época em que o médico escreveu diversos livros, sendo a maioria voltada para educação e tendo a criança como foco, como por exemplo os livros Quando Eu Voltar a Ser Criança e Rei Mateusinho e a Ilha Deserta e dessa forma mostra como sempre foi um defensor e tanto dos direitos da infância.


A cada página do livro, o leitor conhece uma visão fantástica sobre a infância e como toda a casa era pensada para o conforto das crianças. Entre algumas cenas da vida de Janusz Korczak e esse carinho com os garotos, vale a pena destacar a equipe de educadores do orfanato, como eram os quartos infantis e suas peculiaridades (cama, luz e posições dos móveis); e um passeio de férias que o diretor do Dom Sierot fez com todos seus filhotes de coração.


Alguns nomes que estão ocultos para aqueles que já ouviram falar na história do pediatra, estão os de Igor Newerly, Maryna Falska e Stefa Wilczynka, grandes amigos de Korczak e das crianças polonesas.


“Naquele verão de 1940, as crianças puderam esquecer-se do mundo em guerra e Korczak conseguiu descansar [...]. De dia, havia toda a agitação das crianças felizes e livres.”

p. 82


Mais do que uma biografia ou um livro-reportagem, Janusz Korczak – Uma Vida em Defesa da Infância, é um livro que com linguagem acessível, apresenta ensinamentos sobre educação infantil, reflexões sobre uma página horrenda da nossa história mundial, o Holocausto devido a ascensão do nazismo na Europa, e foi esse movimento que deu um triste fim a linda história do orfanato e cada criança, adolescente ou educador que por lá passou.



Livro ideal para quem tem contato com as crianças, estudantes de pedagogia e demais licenciaturas e amantes da história mundial. A obra mostra como o médico fez a diferença na história da Polônia e mais tardiamente na educação universal. Padre Júlio Lancellotti recentemente disse uma frase que cabe claramente no legado de Janusz Korczak: “Ninguém pode fazer tudo, mas ninguém não pode fazer nada!”.



Outros livros para ler junto (Clique no nome para adquirir):

Abraços Literários,


Comments


bottom of page