top of page
Buscar

Resenha | Livro: PADRE GABRIELE AMORTH, de Domenico Agasso

A verdadeira história do Padre que foi exorcista não de um, mas de três Papas. O italiano viu o seu inimigo frente a frente praticamente todos os dias e agora a história de sua vida chega ao Brasil através desta biografia da Paulus Editora



Italiano, Gabriele veio de uma família, muito católica e que frequentava regularmente as Missas dominicais na cidade de Modena. Com cinco filhos, o casal Mario e Albertina era sinônimo de santidade para o filho caçula nascido em 1925 e que mais tarde se tornaria Padre.


Ainda adolescente o menino já sabia que seguiria o caminho do sacerdócio e com apenas 17 anos, conhece Padre Tiago Alberioni, fundador da família paulina e que lhe apresenta o carisma de evangelização através dos meios de comunicação. E foi ali que o menino seguiu sua carreira como seminarista até ordenar-se Padre, onde teve longas e lindas missões narradas em alguns bons capítulos da biografia.


Já ordenado, exerceu a função de jornalista, sendo o Padre responsável por um dos periódicos católicos da Itália, o L’Aurora. Na revista, Padre Amorth mostrou sua devoção Mariana em diversos artigos sobre Nossa Senhora.


Dessa devoção, nasceu em seu coração um dos projetos mais ousados de sua vida: Consagrar toda a Itália ao Imaculado Coração de Maria.A ideia foi abraçada por diversos Padres e Bispos italianos. E entre 1958 e 1959, o Padre andou por todos os cantos do país levando a beleza e docilidade de Maria aos Católicos. Por fim, em 13 de setembro daquele ano, a consagração foi realizada em Missa solene na cidade de Catânia. No livro da Paulus, é possível vivenciar tanto o carisma do sacerdote como o belo projeto que foi a consagração do país.


Depois de tantas funções em favor da evangelização, em 1986 foi dada a missão que carregaria para o resto da vida e que ficaria conhecido mundialmente: A de exorcista. Nela, passou a enfrentar o inimigo de Cristo e seu, frente a frente todos os dias.


Padre Gabriele Amorth foi pego de surpresa no dia 11 de maio, em uma carta onde foi nomeado pelo Cardeal Ugo Poletti, de quem era próximo. Este, orientou que ele procurasse Padre Cândido, que ensinou a ele o ritual de exorcismo, além dos primeiros passos na jornada, como se precaver em alguns casos, além de ensinar como diferenciar problemas psiquiátricos à possessão.


O primeiro exorcismo. [...] Este dia ficará para sempre na memória do exorcista: 21 de fevereiro de 1987, poucos meses depois de receber o mandato do cardeal Poletti. É a sua vez! é um caso apresentado ao padre Cândido pelo frade fransciscano, de origem croata, padre Massimiliano: há um camponês provavelmente possuído. Padre Cândido diz: "Não tenho tempo. Estou lhe enviando padre Amorth".

p. 101


Seu primeiro exorcismo foi apenas oito meses após sua nomeação. Chegou até Padre Gabriele um jovem bem simples do interior e e que ao entrar no transe devido o ritual, passava a falar inglês e por isso estava sempre nas sessões um tradutor, além de um outro Sacerdote que acompanhava a vida do rapaz.


A partir desse ponto do livro, o autor e o próprio exorcista, através de trechos de entrevistas e citações, explicam como deve ser o exorcismo e ensinam que: Há um ritual canônico próprio a ser recitado pelo Padre; ter em mãos a Cruz e água benta; não ter público, muito menos curiosos de plantão; se possível, ser feito na Igreja ou em uma sala anexa à Paróquia ou Capela. O processo do exorcismo obviamente não é fácil, além de ser demorado, podendo demorar longas sessões de até mesmo um dia cada e todo o processo demorar longos meses e até mais de um ano.



Isso mostra como a seriedade é bem diferente do que vemos em palcos de eventos organizados por algumas ceitas em nosso dia a dia, em estádios, ginásios e galpões, com uma plateia imensa e quase que de forma instantânea, satanás deixa o possuído como um passe de mágicas.


Domenico Agasso também apresenta como o demônio consegue entrar na Igreja, como em alguns momentos da história o mal esteve presente e se impregnou no mundo, e para os dias mais atuais, como a tecnologia pode ser um verdadeiro inferno, pois infelizmente na web o mal absoluto está presente e há quem se deixe seduzir.


Em 16 de setembro de 2016, Padre Gabriele Amorth fez sua Páscoa aos 91 anos, sendo 62 como sacerdote e 30 como exorcista por três papados. Até os dias de hoje, a figura do Exorcista do Papa é lembrada e vez ou outra pessoas agradecem pela acolhida que ele fez em momentos delicados de sua vida e tendo os livrados do mal e como Deus agiu em suas vidas através de Padre Amorth.


Por ser uma biografia e um livro para leigos, achei interessante como o autor não entra no mérito de como a pessoa ficou possuída, mas apenas mostra o objetivo dos exorcistas: Dar a paz aquela pessoa no momento mais difícil de sua vida, mostrando assim um ato de amor com o próximo, seja que ele for.



Abraços Literários,


Comments


bottom of page